São Paulo Imagens

3 08 2009

São Paulo é objeto deste trabalho. Mas abarcá-la por inteiro é tão pretensioso quanto impossível. Nesse sentido, pretendemos aqui iluminar alguns de seus aspectos que mais nos chamam atenção, de maneira que, a primeira vista, pode soar fragmentária, mas que reflete e ecoa o próprio caráter múltiplo da cidade ao longo de sua história. Com “São Paulo imagens” propomos alguns enquadramentos possíveis da metrópole, que julgamos potencialmente prolíficos ao uso de professores em sala de aula. Indstrialização, imigração, arquitetura moderna e expressão artística na cidade são alguns do eixos que podem guiar aproximações da nossa realidade urbana numa perspectiva histórica.

FILMOGRAFIA
Para a compreensão da evolução histórica da cidade, estabelecemos um percurso filmográfico que começa com “São Paulo: Sinfonia da Metrópole”, de 1929, um documentário mudo inspirado em filme alemão que ia na mesma linha. Apresenta-se a cidade como máquina que só cresce e que não pode parar – era o auge da crença no projeto moderno, vivia-se um êxtase produtivo com a crescente industrialização. São Paulo despontava como líder nesse processo, na medida em que o acúmulo de capital nas plantações de café do interior impulsionava o desenvolvimento da cidade. O eixo temático da industrialização é aqui traçado e se desdobra na aceleração industrial das décadas subsequentes, que atraem migrantes de outras regiões do Brasil. O filme “São Paulo S/A”, de 1965, é emblemático nesse sentido ao mostrar a mudança do padrão industrial, que sai da cidade propriamente e vai para a região metropolitana. Há também uma interessante discussão possível sobre as relações humanas na cidade e os novos padrões de comportamento num aglomerado urbano que cresce em escala exponencial.

O período da ditadura militar é retratado em 1970 no bairro do Bom Retiro em “O ano em que meus pais saíram de férias”, que retrata além de um período histórico específico da cidade, a importância cultural que este bairro guarda em São Paulo.

Na década de 80, “O homem que virou suco” retrata as dificuldades enfrentadas pelos migrantes nordestinos que vieram fornecer mão-de-obra à cidade.
Fazendo um salto histórico, chegamos  ao filme “Urbania”, de 2001, que mostra a degradação sofrida por aqueles mesmos lugares que prometiam o progresso e o desenvolvimento nos dois primeiros filmes. Uma possível discussão aqui a ser desenvolvida em sala de aula é sobre a aproveitamento do espaço na cidade: lugares antes industriais hoje são abandonados e degradados. A abordagem pode ser tanto do ponto de vista social e econômico como pessoal e comunitário (pertencimento e apropriação do espaço público).

Colaboram para tanto os filmes “Contra todos”, “Linha de Passe” e “Os 12 trabalhos”. Contemporâneos, mostram uma São Paulo multifacetada, os contrastes entre os diferentes espaços da cidade e com isso permitem uma reflexão atual sobre os problemas e sobre as características desta metrópole.

Paralelamente ao percurso sugerido acima, que é baseado em longas-metragens, sugerimos também alguns materiais fílmicos de curta duração, que dialogam e expandem os eixos temáticos propostos. De vídeos promocionais atuais que podem ser comparados à “Sinfonia da Metrópole” a imagens da expressão do grafite e das pichações que ocupam os muros da cidade, propomos o estabelecimento de uma discussão atualizada sobre os usos da cidades e as formas de retratá-la.

Por fim, na seção músicas elencamos várias desses que têm relação íntima com a cidade e sua história.

Na seção “Sobre” é possível entender um pouco de nossa proposta com este site.

Anúncios